REVISÃO INTEGRATIVA DE LITERATURA em 5 passos simples!

Você já deve ter ouvido falar na temida Revisão Integrativa de Literatura... Seja durante seu mestrado, doutorado ou graduação, em algum momento você deve ter lido um artigo que se intitulava de Revisão Integrativa para poder embasar o referencial teórico de sua dissertação ou tese. Existem diversas formas de se conduzir uma revisão de literatura para um trabalho acadêmico ou pesquisa científica. Já comentamos aqui no blog sobre outros tipos de revisão de literatura, como por exemplo a revisão sistemática. Mas hoje vamos falar da revisão Integrativa. O que é esse tipo de revisão? Como fazemos uma revisão integrativa? Que exemplos podemos ver de boas revisões? Neste post, vou explicar tudo sobre a revisão integrativa. Se quiser, você também pode assistir ao episódio de Pesquisa na Prática no nosso canal do YouTube. O que é a revisão integrativa? A revisão integrativa nada mais é do que um tipo de revisão sistemática, onde os critérios de seleção e exclusão de fontes seguem um padrão definido pelo pesquisador. Para saber mais sobre REVISÃO BIBLIOGRÁFICA, confira esse vídeo: Bom, mas como nós pensamos e desenvolvemos uma revisão integrativa? 5 etapas para uma boa revisão integrativa #1 Defina qual o problema de pesquisa você quer resolver com a sua revisão Sem a definição clara do que você quer encontrar, você não vai encontrar nada. Por isso, tenha em mente o que você está procurando. Problemas de pesquisa que costumam dar origem a revisões de literatura desse tipo são relacionados à identificação do estado da arte de um determinado campo. Por exemplo, “Quais os avanços mais recentes nas pesquisas em segurança operacional em aviação?” ou “Como a literatura tem estudado o uso de medicamentos fitoterápicos em seres humanos?”. A partir do problema de pesquisa, você saberá de forma clara o que os artigos devem apresentar para compor a sua amostra de artigos a serem analisados. #2 Busca da Literatura A busca da literatura será realizada nas bases de dados que melhor se adequarem ao seu tema ou área de estudo. Utilize filtros para limitar a sua pesquisa de forma a chegar em um número coerente de artigos. Para saber mais sobre busca em base de dados, confere esse vídeo do YouTube: #3 Avaliando os dados encontrados Depois de fazer as buscas, você vai selecionar os artigos que apresentem títulos que expliquem o que está buscando. Posteriormente, você vai ler os resumos dos artigos científicos os selecionados e vai fazer uma seleção mais específica, de forma a separar aqueles que realmente te ajudam a resolver o problema de pesquisa. IMPORTANTE: Sempre mantenha registrada as quantidades de artigos encontradas nas bases de dados e as exclusões realizadas. Para isso, use esta tabela como guia: Baixe essa tabela aqui! #4 Análise dos dados Após a seleção dos artigos e da exclusão dos resultados que não respondem ao seu problema de pesquisa, é hora de por a mão na massa. Ou melhor, nos papeis. Você terá que ler esses artigos e compreender o que eles falam sobre o assunto pesquisado. Aqui é importante que você selecione trechos, faça anotações, identifique relações com outros artigos e mantenha tudo que é mais importante registrado para que possa usar posteriormente. #5 Apresentação dos resultados Bom, depois de ter lido e se apropriado das definições, conteúdos e resultados dos documentos selecionados, é hora de escrever a sua revisão de literatura. A escrita deve responder a sua questão de pesquisa. Você deve deixar claro os procedimentos que utilizou para a seleção (tabela que falamos anteriormente). Na parte de apresentação e discussão dos conceitos e documentos, é de extrema importância que você consiga garantir a rastreabilidade dos seus argumentos (assunto para outro post). De modo geral, você deve sempre citar os autores, garantir que não está fazendo inferências falsas e que as relações que está desenhando realmente fazem sentido. Aqui também está um importante diferencial da revisão integrativa: a forma como você apresenta os dados. Como o próprio nome já diz, você deve INTEGRAR os resultados, identificando padrões,similaridades e diferenças na literatura. Com frequência, essa integração resulta em um framework, um modelo que demonstra as relações entre os conceitos e definições apresentadas. Se quiser saber mais sobre revisão integrativa, pode consultar os seguintes artigos: TORRACO, R. J. Writing integrative literature reviews: Guidelines and examples. Humam Resource Development Review, v. 4, n. 3, p. 356–367, 2005. WHITTEMORE, R.; KNAFL, K. The integrative review: updated methodology. Journal of Advanced Nursing, v. 52, n. 2, p. 546–553, 2005. A Revisão Integrativa é muito legal de ser feita, pois ela nos ajuda a compreender um campo, conceito ou estado da arte de forma estruturada e passível de publicação! Lembre-se sempre de seguir uma estrutura que não deixe lacunas na forma como você busca, seleciona e relaciona os resultados. Isso pode ser a diferença entre você publicar ou não a sua revisão. Espero que este post tenha lhe ajudado a entender melhor o que é e como fazer uma boa revisão! Baixe o modelo de tabela para acompanhamento da sua revisão de literatura e assista aos vídeos apresentados no post. Nos vemos em um próximo post!

academica_logo_rgb_novo_branco.png
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Spotify - Círculo Branco

Fale conosco

Mande um WhatsApp

Cursos Online