Resultados e discussões

Você sabe diferenciar e estruturar os capítulos de resultados e discussões do seu trabalho acadêmico (dissertação, tese ou TCC)? Saber a diferença entre os resultados e as discussões é essencial para que você consiga estruturar e escrever a parte final do seu trabalho científico. Esses capítulos bem escritos podem ser a diferença entre você ter seu artigo aceito ou receber muitas críticas na sua avaliação. Mas antes disso, fizemos um vídeo no nosso canal do YouTube falando sobre esse assunto. Corre lá e confere, é só clicar na imagem. Resultados são aquilo que você coletou Uma forma excelente de entender o que são os resultados e o que você deve escrever no seu capítulo de resultados é comparar um trabalho acadêmico com um exame de sangue. Provavelmente você já fez um exame de sangue a pedido de um médico. Se você pegar o resultado do exame de sangue (pode ser o papel que o laboratório te entrega ou o PDF que te enviam), notará que lá constam diversas informações. Essas informações são medidas reais extraídas das amostras de sangue que um técnico coletou do seu braço. Os processos laboratoriais não fazem nada além de identificar os diversos componentes do sangue e listá-los naquele papel que você levará ao médico posteriormente. Tá, Felipe, e o que eu tenho a ver com isso? Tudo! No seu trabalho científico, você vai apresentar, no capítulo de resultados, os dados que você coletou. Não vai fazer análises ou julgamentos. Vai apenas apresentar o que você extraiu nas coletas de dados. Se foi uma modelagem, apresente o modelo. Se foi uma survey, descreva os dados coletados. Se foram entrevistas, fale sobre o que você encontrou que seja relevante à sua pesquisa. Discussões são as suas análises Voltando ao exemplo do exame de sangue. Quando você leva o seu resultado do exame de sangue ao médico, ele lê e tira te explica o que pode estar acontecendo contigo. Tal quantidade de colesterol LDL representa que você está na condição de saúde X. Tal quantidade de plaquetas pode significar a condição Y. Perceba que o médico está lendo os resultados e COMPARANDO-OS com o que aprendeu na formação de medicina e o que LEU em diversas fontes. Dessa forma, ele desenha as explicações e possíveis condições de saúde do paciente. Você, na parte de discussões, vai comparar o que encontro na literatura com o que encontrou na coleta de dados e desenhar suas análises. Tal resultado corrobora a literatura X. Os participantes abordaram o assunto Y de tal forma. A literatura não apresenta vestígios do comportamento Z. Uma dica importante Se você se atentar às análises do médico verá que, nem sempre, ele te apresentará um diagnóstico preciso de uma doença apenas baseado em um exame de sangue. Para confirmar suspeitas (principalmente de doenças mais sérias) o médico solicitará novos exames, mais específicos para o que ele suspeita. Na sua pesquisa, você também evitará ser incisivo e definitivo nas suas conclusões, principalmente quando os seus dados não suportarem tais afirmações. Por isso, você apontará quais futuras pesquisas podem ser feitas afim de comprovar os seus achados. Conclusão Viu como nós vivemos pesquisas científicas no nosso dia a dia? Sempre que você tiver dúvida do que colocar no capítulo de resultados e discussões, lembre-se do exame de sangue. Espero que tenha gostado do post e que ele tenha te ajudado a entender essa diferença que gera muita dúvida nos acadêmicos desse Brasil. Espero te encontrar em outros posts aqui do blog. Um abraço, Felipe.

Fale conosco

Mande um WhatsApp

Cursos Online